É assim que me vejo

Não consigo me equilibrar entre a fonte e o desejo. A vida para mim ainda é feita de sorrisos e adeuses, de chegadas, de erros e encantos. Não que eu entenda cada um deles - não é isso. Mas eu nunca me distraí com os capítulos da minha vida. Me aceito, enfim. Sou o contrário do meu próprio caminho, reticências desordenadas. Digo que nasci subjetiva e eu mesma me surpreendo com minhas atitudes, as vezes. Acho que é porque não gosto da vida com imperativos. Gosto da transitividade do verbo. Eu completo como a situação pedir. E é com isso que eu aprendo e conserto o que existe de errado e sujo. Não é tarefa simples, mas dá pra dar aquele velho jeitinho. Hoje sou o reflexo mais normal e límpido da minha alma e é isso que tento transparecer, realmente.  Hoje me sinto humana. Hoje aceito que a vida é uma questão de fé, já ouvia isso antes mas a fé não se pede, se suplica e vive. E precisa de amor. :$

Wanderly Frota

2 comentários:

  1. bonita a postagem, está de parabéns...

    :)

    http://umpoucodelixotoxico.blogspot.com

    ResponderExcluir

<< >>