Things of the mind

Não consigo ver o que está do outro lado da rua, se eu não for até lá ou abrir a minha janela, mas eu já quis enxergar além do que a visão permite. Vão embora as esperanças... consegui vendo desenhos animados.

Eu queria sentir o amor como ele é, sem misturas, sem medo, sem culpa. Percebi que sou uma nem tão romântica e cheia de dúvidas a respeito disso. Romantismo não é bem o meu forte.

 

Eu já sonhei em alcançar o céu, mas nem trocar uma lâmpada eu consigo. As vezes nossos sonhos são tamanhos que nem percebemos que primeiro, precisamos esticar o braço e alcançar o que está mais perto.



Queria entender a morte, mas eu tenho medo dos fantasmas da noite que aparecem em pesadelos ou em imagens que eu mesma crio na mente.

Eu queria sair por aí correndo e sei lá, mudar tudo, mas eu me canso logo logo na primeira esquina. 

Só me resta, esperar mais um pouco até que tudo se organize. 
Enquanto isso,  
SURPRESA: fico com meu velho e bom prato de feijão com arroz e não tô nem aí pro resto.

(aplausos)

Wanderly Frota

7 comentários:

  1. Como sempre, P E R F E I T O !

    Aplaudii sim.

    Orgulho dessa menina Gente !

    ResponderExcluir
  2. Muito legal!
    Mas as vezes uma ruptura se faz necessária! É o perigo de se acomodar!

    Se bem que eu adoro o meu arroz com feijão de cada dia, rsrsrsrsrrs.

    Belo trabalho!

    @zecajagger
    http://www.shitnessbook.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Obrigada Myn (:
    Texto com feijão é realmente difícil. aushasuh [parei]

    --------
    Obrigada Flávio *-*
    tô te seguiindo também
    ;D

    ResponderExcluir
  4. Adorei seu blog e já sou seguidora! hehe :D
    Parabéns pelos textos!

    Abração!

    ResponderExcluir
  5. Obrigada Carina !
    Obrigada Luis !

    Beijinho pra vocês ;**

    ResponderExcluir

<< >>